O papel da fisioterapia na recuperação da cirurgia plástica

O papel da fisioterapia na recuperação da cirurgia plástica

Quando um paciente deseja melhorar algum aspecto do corpo por meio de um procedimento cirúrgico, ele precisa entender, também, a importância da fisioterapia na recuperação da cirurgia plástica. Isso se deve ao fato de que, após a cirurgia, é normal que apareçam efeitos colaterais, como a dor, os edemas, as equimoses e outros desconfortos provenientes do procedimento.

É por meio da fisioterapia pós-cirúrgica que é possível minimizar as queixas e otimizar os resultados da cirurgia plástica, diminuindo o desconforto e os traumas na área operada. Cabe lembrar que a alta satisfação dos pacientes é, hoje, provavelmente, o critério mais importante na avaliação dos resultados dos procedimentos cirúrgicos. Daí vem a necessidade de os cirurgiões plásticos conhecerem os detalhes das técnicas fisioterapêuticas, para poder indicá-los como tratamento logo após uma cirurgia.

Tipos de fisioterapia na recuperação da cirurgia plástica

Podem ser utilizados vários tipos de fisioterapia na recuperação da cirurgia plástica, que vêm demonstrando eficácia e resultados positivos para a reabilitação do paciente. O tratamento pós-cirúrgico pode ser realizado no pós-operatório imediato ou tardio, tendo como objetivo prevenir:

  • edemas;
  • enfisema cutâneo;
  • retrações cicatriciais;
  • fibrose;
  • lipoma;
  • seroma;
  • déficit de sensibilidade;
  • contratura muscular.

Drenagem linfática manual

Algumas cirurgias plásticas pedem um tratamento complementar, que será de suma importância na recuperação mais rápida do paciente. A drenagem linfática manual é um procedimento recomendado em cirurgias plásticas como:

  • lipoaspiração
  • abdominoplasti
  • ginecomastia
  • mamoplastia
  • blefaroplastia
  • ritidoplastia
  • lifting
  • dentre outros.

Ela é essencial no pós-operatório dessas cirurgias, pois ajuda na redução do inchaço causado pelos procedimentos, acelerando a regeneração da área. Outro grande benefício é a diminuição do processo inflamatório. Quando o organismo sofre um grande trauma, a tendência é que a área afetada retenha líquido. No caso de uma cirurgia plástica, o sangue, o soro fisiológico e as secreções são substâncias que podem se acumular.

Liberação tecidual funcional

A técnica de liberação tecidual funcional é um tratamento simples, indolor, não invasivo e de rápida resposta, que consiste na aplicação de uma pressão suficiente para provocar um rearranjo na estrutura dos tecidos, orientando as fibras de cicatrização e de colágeno, prevenindo ou tratando, dessa forma, as fibroses e aderências.

Taping

A técnica de taping consiste na aplicação de fitas compressivas hipoalergênicas de algodão nas regiões operadas, de forma a mobilizar e orientar o processo cicatricial constantemente e em diferentes direções, modificando a estrutura do colágeno cicatricial. Age complementando os tratamentos manuais.

Cinesioterapia

Outra técnica utilizada dentro da fisioterapia é a cinesioterapia, que trabalha a parte funcional do corpo, com exercícios e alongamentos, caso haja alguma limitação de movimento, em função da cirurgia.

Ultrassonoterapia

Esta técnica utiliza a ultrassonografia (ondas sonoras) para exercer um efeito térmico ou atérmico sobre as células e tecidos da área operada. O mecanismo atua de diferentes formas no processo de cicatrização e/ou reparo de lesões.

O efeito atérmico é indicado no pós-cirúrgico imediato, ou seja, na etapa da inflamação, que é uma fase dinâmica de reparo. Seu efeito tem uma importante contribuição na circulação sanguínea da área operada, facilitando a drenagem linfática.

Todos os tratamentos fisioterapêuticos pós-cirúrgicos têm de ser realizados por uma equipe multidisciplinar e capacitada para exercê-los. A partir disso, as técnicas de fisioterapia têm muito a contribuir para o sucesso da cirurgia plástica e o bem-estar dos pacientes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *